Podemos definir uso como qualquer consumo de substâncias (experimental, esporádico ou episódico), abuso ou uso nocivo como sendo um consumo de substâncias que já está associado a algum prejuízo (quer em termos biológicos, psicológicos ou sociais) e, por fim, dependência como o consumo sem controlo, geralmente associado a problemas sérios para o usuário. Isso nos dá uma ideia de continuidade, com uma evolução progressiva entre esses níveis de consumo: os indivíduos passariam inicialmente por uma fase de uso, alguns deles evoluiriam posteriormente para o estágio de abuso e, finalmente, alguns destes últimos tornar-se-iam dependentes. As classificações actuais de distúrbios provocados por drogas psicotrópicas fornecem critérios para diagnóstico que são gerais, ou seja, independentemente da substância consumida para se caracterizar abuso/uso nocivo ou dependência. Nem todo uso de drogas é devido à dependência e a maior parte das pessoas que apresentam uso disfuncional de alguma droga não é dependente. Estudos recentes têm mostrado que a condição de uso nocivo de uma droga nem sempre progride para a dependência.

A síndrome de dependência, segundo a Classificação Internacional de Doenças, CID-10 (Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento da CID-10), é descrita por um conjunto de fenómenos fisiológicos, comportamentais e cognitivos, no qual o uso de uma substância ou uma classe de substâncias alcança uma prioridade muito maior para um determinado indivíduo que outros comportamentos que antes tinham valor. Um diagnóstico de dependência deve usualmente ser feito somente se três ou mais dos seguintes requisitos tenham sido experimentados ou exibidos em algum momento durante o ano anterior:

 

  1. Um forte desejo ou senso de compulsão para consumir a substância;

  2. Dificuldades em controlar o comportamento de consumir a substância em termos de início, término ou níveis de consumo;

  3. Um estado de abstinência fisiológico quando o uso da substância cessou ou foi reduzido, evidenciado por: síndrome de abstinência característica para a substância ou o uso da mesma substância (ou uma intimamente relacionada) com a intenção de aliviar ou evitar sintomas de abstinência;

  4. Evidência de tolerância, de tal forma que doses crescentes da substância psicoactiva são requeridas para alcançar efeitos originalmente produzidos por doses mais baixas;

  5. Abandono progressivo de prazeres ou interesses alternativos em favor do uso da substância psicoactiva, aumento da quantidade de tempo necessário para obter ou tomar a substância ou para se recuperar de seus efeitos;


  6. Persistência no uso da substância, a despeito de evidência clara de consequências manifestamente nocivas, tais como dano ao fígado por consumo excessivo de bebidas alcoólicas, estados de humor depressivos consequentes a períodos de consumo excessivo da substância ou comprometimento do funcionamento cognitivo relacionado à droga.

O dependente, portanto, é alguém que desenvolve um comportamento que em grande parte não consegue controlar. Mas não há uma fórmula para se saber quem, entre os usuários de drogas, vai se tornar dependente. O terreno é de possibilidades, de riscos, de situações relativas…


Comentários

  1. 1
    marina
    Abril 29th, 2009 em 2:18

    gostei da matéria pois tenho um filho viciado em craque não sei + o k fazer ele só tem 22 anos .

    ResponderResponder
  2. 2
    ANA CAROLINE
    Junho 16th, 2009 em 1:25

    EU NÃO SOU VICIADA MAS QUANDO VEJO MEUS AMIGOS USANDO DA VONTADE E USO;
    SO QUE QUANDO DOU O 1 TECO QUERO CHERA TUDO.E GASTO EN 2 DIAS 300, REAS
    EEEEEEE ISSO E FD MESMO !!!
    MAS E SO EU FICAR LOGE DELES QUE EU FICO SEM FAZER NADA..EU POR SI NÃO LEMBRO DE COCAINA,SO QUANDO ALGUEM ME CHAMA FORA ISSO NÃO USO..MAS O QUE EU FICO BOLADA E O MEU DIMDIM..QUE VAI ENBORA TODOO;AJUDA

    ResponderResponder
  3. 3
    ANA CAROLINE
    Junho 16th, 2009 em 1:27

    GOSTARIA DE METER O PE PARA OUTRO LUGAR
    FORA DE AMIGOS DROGADOOS RSRSRRS
    ELLE SO FICAM NA MINHA ABA.FD @¨$#5*)!!!

    ResponderResponder
  4. 4
    melo
    Novembro 27th, 2009 em 12:51

    droga e uma coisa q ñ pode ter navida de uma pessoa droga e um passo pro caixao seu corpo vai pedindo vc vai aceitandoate q um dia vc ja ñ aguenta vc vai acabando por de pouco a pouco ñ fume pratica algum esporte sai com seus colega q ti quer bem vc fika ai e seus pais preocupados com vc as vezes ate morre de agunia do filho q ta no mundo das droga.

    pede ajuda dos médicos e primeiro de DEUS ele ti ajuda eu nunca fumei e nem vou fumar pq isso so atrapalha nossa vida

    ResponderResponder
  5. 5
    João
    Fevereiro 7th, 2010 em 18:56

    @marina:
    devia mandar o seu filho para uma casa de desintoxicação!!!!!!!

    ResponderResponder
  6. 6
    Inês
    Fevereiro 20th, 2010 em 13:36

    eu sou viciada em droga (fumo ao ke nós chama-mos ganza), só tenho 14 anos e já fumo droga a cerca de 5 anos, os meus amigos tentam-me ajudar e dizem-me ke faz mal e ke posso ter graves problemas de saúde mas eu nao os ouço, eu até os kero ouvir mas nao consigo, nao consigo resistir é mais forte ke eu!!! já tentei deixar muitas vezes e esforcei-me ao máximo, até me distraía kom os amigos mas estava sempre a pensar na droga e no prazer ke dá fumar e fico super nervosa… preciso de ajuds!

    ResponderResponder
  7. 7
    Sah
    Setembro 30th, 2010 em 6:23

    tenho 20 anos,e sou uma viciada,
    o cristal entrou na minha vida de uma maneira tão facil e hj ta sendo mto dificil de sair….
    no começo eu me controlava mas agr nw consigo,c eu fiko sem dar um “tiro”fiko nervosa,agitada e ansiosa…por favor preciso de ajuda!

    ResponderResponder
  8. 8
    viviane
    Outubro 31st, 2010 em 9:34

    belo horizonte,01 de outubro de 2010
    sou casada tenho 2 filhos mais quem está usando é o meu marido não sei mais o q fazer para faze-lo parar de cheirar ele fala que não está usando mais eu sei que usou ele fica diferente e bebe sem controle,fica agressivo e mesmo que eu ache alguma coisa no bolso ou no carro ele continua dizendo q não cheirou até jura pela vida do filho é muito triste pois eu o amo.

    ResponderResponder
  9. 9
    Nuno
    Fevereiro 28th, 2011 em 19:30

    A droga não uma é um vício que se torna uma doença muito grave só passando por ela é que podemos relatar as dificuldades que temos para sair.
    Tudo aparece sem sentido as mentiras, roubos,intrigas passa a fazer parte do dia-a-dia de um viciado.
    Hoje em dia só entra na droga quem quer, olhem à vossa volta e vejam na desgraça que maior parte dos drogados caem.

    ResponderResponder
  10. 10
    daniela
    Setembro 8th, 2011 em 18:33

    O pai do meu filho tbm é um usuário, primeiro do crack
    agora ele está substituindo este por cocaina, e acha que então está tudo bem, quase nunca tem dinheiro e quando tem é para beber e usar esse maldito pó!!!!
    Como posso fazer para ajudá-lo sem pensar em uma internaçãO de imediato???

    ResponderResponder

Deixa um Comentário

Tags Populares

blank